A educação soma forças para fazer o bem

20 de abr

Por meio de ações sociais que enriquecem o processo de aprendizado dos alunos, as escolas se aproximam da comunidade e geram uma rede solidária. Juntando o desejo de ajudar quem mais precisa, as iniciativas também participam da construção de uma educação mais democrática, justa e reflexiva, trazendo importantes percepções a todos os envolvidos.

Esse é o exemplo da campanha do agasalho, promovida pela Pastoral Juvenil Marista do Colégio Marista Champagnat de Ribeirão Preto em parceria com o Grupo Voluntário Amici. Começando no dia 12 e se estendendo até dia 23 de abril, a campanha visa a arrecadar cobertores e roupas adultas e infantis para o inverno.

No dia 24, ocorre a distribuição das arrecadações, que vão aquecer pessoas moradoras de rua, e uma parte dessas doações será destinada à população vulnerável moradora próxima da Escola Municipal Nelson Machado.

A ação centraliza a solidariedade, compaixão e a empatia, que são valores que regem as ações do Grupo Marista e, mais do que nunca, são urgentes, devido a este momento de pandemia, que agravou a situação social de inúmeras famílias.

As doações podem ser feitas no Colégio Marista Champagnat, em Ribeirão Preto.

Outro projeto que tem estreitado essa relação escola-sociedade é o desenvolvido no Colégio Marista Arquidiocesano. Nele, os alunos aprendem a pensar na matemática a partir da realidade social atual

Começando com os alunos tomando conhecimento de como a realidade de diversas famílias tem sido afetada pela pandemia do novo coronavírus, considerando aspectos da economia e alimentação, principalmente, a professora de matemática responsável usa esses dados para articular os cálculos e conteúdos teóricos.

Afinal, diversas fórmulas que estão presentes no dia a dia das aulas são usadas por profissionais que fazem levantamentos dessa realidade. Mas isso é só o começo do projeto, pois o grande objetivo é transformar todo esse saber em ação.

Com a campanha “Qual a potência da solidariedade?“, a proposta é que os alunos doem uma cesta básica e convidem mais duas pessoas a doarem também. Feita com base na lógica exponencial, os cálculos ganham um apelo e aplicação social e podem transformar muitas vidas.

A arrecadação de cestas básicas se destina às famílias da Zona Leste de São Paulo, capital, centralizando na União de Vila Nova, Vila Progresso e Jardim Progresso.

No entanto, como a matemática bem demonstra, uma rede exponencial de solidariedade pode ultrapassar esses limites geográficos e assistir diversas outras regiões.

As doações podem ser feitas até o dia 23 de abril no Colégio Marista Arquidiocesano e não se limita aos alunos da instituição – toda a comunidade é convidada a participar e contribuir com a rede de solidariedade.

A escola como espaço de doação: qual a relação?

O ambiente escolar permite múltiplos aprendizados e meios de construir o conhecimento – e isso já não é mais novidade. Junto do desenvolvimento cognitivo e saberes curriculares, esse espaço se constitui como um processo de desenvolver o lado humano, social, cultural.

O objetivo é, então, favorecer todos esses aspectos, de modo que cada estudante possa vivenciar um processo enriquecedor de desenvolvimento humano.

Para isso, os professores podem usar diversos recursos para fazer os alunos pensarem sobre o conteúdo aplicado ao dia a dia ou às atividades do cotidiano.

E, além disso, podem promover ações solidárias que participam da formação humana e integral para dentro da sala – afinal, a educação não pode ser isolada da dinâmica social, de forma que trazer essa realidade para dentro da escola é ampliar os saberes e, ao mesmo tempo, ajudar a quem precisa.

Nesse aspecto, reforça-se a relação inseparável entre a escola e a sociedade: nem só dentro das salas de aula se constrói o conhecimento. Aliás, é rompendo as barreiras físicas do ambiente escolar que a educação se consolida, que os alunos interagem com o mundo e colocam em prática o saber – teórico, afetivo, humano, social, emocional.

É dando centralidade a essas relações transversais que se dão na vida escolar que os Colégios Marista constroem uma educação de excelência. Presente em 4 estados e no Distrito Federal, as 18 unidades existentes são pautadas nesses valores humanos que apostam no pensamento crítico, cooperação, solidariedade, autonomia e reflexão.

Assim, o processo educativo proposto é baseado na articulação das vivências e realidades dentro e fora das salas de aula, o que prepara os alunos para uma vida de desafios e uma postura ética.