Alunos da PUCPR levam informações sobre saúde para Marista Escolas Sociais

26 de maio

A graduação é um período de muito aprendizado. E se engana quem pensa que, nesses anos de estudo, somente a teoria é aprofundada. Habilidades como didática e sobretudo empatia se entrelaçam às aulas e, juntas, compõem uma formação integral e humana. 

A PUCPR, parte do Grupo Marista, aproveita a disciplina de Educação em Saúde para exemplificar isso, sobretudo em um momento em que esses valores e saberes são ainda mais necessários.

Antes da pandemia, os alunos que estão no 3º período costumavam ir aos postos de saúde e escolas municipais para falar com a população, prestar assistência e colocar em prática os conhecimentos adquiridos em aula. Mas a exigência do distanciamento social trouxe mudanças para a rotina acadêmica.

O que poderia ser uma cenário de dificuldades para a organização curricular e para os estudantes foi, na verdade, uma oportunidade de ampliar ainda mais o alcance da solidariedade e paixão pela profissão. Assim, a coordenação docente e a vontade dos alunos em fazer a diferença não deixaram que a oportunidade de impactar positivamente a comunidade se perdesse. 

Com isso, surgiu uma parceria entre a instituição e o Marista Escolas Sociais. O resultado foi que crianças, adolescentes e colaboradores de diferentes idades puderam ter acesso a uma série de informações sobre saúde e bem-estar. 

A partir de temáticas pré-selecionadas e que têm relação com a realidade da comunidade, suas vulnerabilidades e oportunidades, os estudantes de medicina promovem como avaliação da disciplina palestras remotas. Nelas, eles ensinam e aprendem em um troca cheia de significados.

Essa reformulação estreita os laços entre a teoria, vinda da sala de aula, e a prática, que impacta diretamente na comunidade. E é exatamente nesse ponto que a educação e a transformação social ganham ainda mais forças.

Os temas abordam aspectos diversos relacionados à saúde e ao momento atual, como as fake news sobre a Covid-19 ou mesmo a biologia dos vírus, além de temas sobre bem-estar, ergonomia no trabalho e saúde mental e autocuidado.

Estes últimos, por exemplo, foram ministrados no Marista Escola Social Irmão Lourenço, em São Paulo. Somente nela, 222 alunos e cerca de 55 colaboradores da instituição participaram.

Para o público, é uma forma de ter informações confiáveis, com linguagem acessível e que dialoga diretamente com ele – as palestras têm espaço para perguntas e esclarecimentos, o que torna o processo ainda mais interativo e esclarecedor.

Mas não é somente a comunidade que se beneficia dessa proposta metodológica. Os próprios estudantes de medicina vivenciam um aprendizado enorme, já que explicar algo – dar uma palestra, aula ou esclarecer algum conceito – exige preparo e didática, além de muita empatia e vontade de transformar a realidade.

Grupo Marista conecta pessoas

Planejar mudanças diante de um cenário de pandemia não é tarefa fácil, mas o olhar cuidadoso e engajado dos professores, alunos e demais envolvidos, reforça os valores que todo o Grupo Marista tem como base de ação. 

Assim, além de promover uma educação sólida e humana dos futuros profissionais de medicina da PUCPR, a experiência da disciplina de Educação em Saúde possibilita que as crianças e jovens das Escolas Solidárias estejam mais próximos da vida acadêmica, despertando o interesse e construindo pontes para seus futuros.

Além disso, é uma forma de transformar os desafios que a pandemia de Covid-19 tem gerado em recursos para conectar pessoas e vencer barreiras.