Campanha de Natal 2020: junto ao Menino Jesus encontramos vida nova

23 de dez

A Virgem Maria acolhe o Menino Jesus em seus braços e em seu coração. Com todo o seu carinho de mãe, o envolve em seu abraço e se também se deixa envolver pelo amor recíproco e verdadeiro que os une – e que compartilham com toda a humanidade.

A partir desta imagem, intimamente ligada à espiritualidade marista, apresentamos nossa campanha de Natal 2020. Nesse período de preparação para a data de nascimento de Nosso Salvador, convidamos todos os Maristas de Champagnat e a comunidade a olharem o futuro com esperança, com a certeza de que junto ao Cristo encontramos vida nova.

Além disso, neste ano também vamos refletir sobre o conceito de novidade na ótica cristã. “Nele somos novas criaturas” (Cf. 2 Cor 5,17) é a inspiração bíblica que fundamenta a ação. E que inspirou a obra sacra presente nos materiais gráficos, concebida em carvão e folha de ouro sobre papel (104cm x 75cm), por Romolo Picoli Ronchetti.

Significados contidos na obra deste Natal

“Para a campanha de Natal, é apresentada uma resposta ao duro ano que vivemos: sobre o fundo de dor, falimento, rejeição, doenças e destruição deste mundo, o Amor de Deus reluz triunfante. No Deus que se faz Menino, vislumbramos nossa humanidade restaurada”, escreve o artista.

Recordando a longa viagem de Virgem Maria grávida e São José, de Nazaré a Belém, Ronchetti explica que a escuridão tenta envolver e dominar a cena, mas é vencida pela Estrela Luminosa que guiou os Reis do Oriente até o Menino “envolto em faixas”.

“A Virgem Maria ao centro da cena, carinhosamente acolhendo o Menino, é um sinal perene de que quando Deus é acolhido no coração, Ele transborda nos olhos e nas mãos: enxerga no Outro a ‘carne’ de Deus e o acolhe como extensão de si mesmo, esta é a confirmação de que nos tornamos verdadeiramente novas criaturas, de que nos tornamos Filhos”, destaca.

O “novo normal” e os caminhos de Deus

Neste ano, de uma hora para outra, fomos confrontados com o chamado “novo normal”. Com efeito, algumas pessoas afirmam que não seremos mais os mesmos depois da pandemia em que estamos mergulhados. No entanto, como advertiu o Papa Francisco, “avançamos, destemidos, pensando que continuaríamos sempre saudáveis num mundo doente” (Urbi et Orbi, 27 de março de 2020). Diante deste contexto, podemos dizer que a própria vida, em toda sua potência e fragilidade, nos solicitou um “novo caminho”. E nós, estamos agindo a fim de construí-lo?

Sem dúvida, este é um ano atípico, repleto de questionamentos e dúvidas. Contudo, aproveitando a proximidade do período natalino, não podemos perder de perspectiva a fé.

Por isso, podemos aproveitar essa época do ano para fazer um balanço das dificuldades enfrentadas, dos aprendizados e dos aspectos positivos que tivemos a oportunidade de desenvolver em meio às circunstâncias que vivemos. Esse olhar atento é uma das chaves de compreensão dos caminhos de Deus.