Dia mundial da enfermagem: HMC e HUC fazem homenagem aos profissionais

12 de maio

A pandemia do novo coronavírus teve um grande impacto na rotina de todo o mundo. Junto da necessidade de readaptar-se às medidas de higiene e proteção para manter os cuidados, foi preciso adotar o isolamento e distanciamento social. Com todo esse contexto, vieram sentimentos de medo, insegurança e até solidão.

Apesar das incertezas e expectativas, boas ações ganharam espaço e foram ainda mais necessárias, sobretudo aquelas que puderam, de alguma forma, trazer conforto à rotina dos profissionais da saúde, que têm resistido à intensidade física e emocional da pandemia.

Esta semana, que marca o Dia Mundial da Enfermagem (12 de maio), é marcada por homenagens em retribuição aos cuidados que, há meses, enfermeiros têm dedicado à população. E elas vêm em forma de carinho e proximidade sem deixar a proteção de lado. Por isso, a criatividade se transformou em afeto.

Em Curitiba (PR), os hospitais Cajuru e Marcelino Champagnat, ambos parte do Grupo Marista, são cenário de uma ação que envolve mais de mil enfermeiros atuantes na linha de frente da Covid-19, que vão receber bonecas fuxico, que são feitas de pano de modo artesanal.

O presente vem das mãos de 38 costureiras voluntárias que viram nas cerca de mil bonecas produzidas uma forma de simbolizar os agradecimentos.

Mas não são somente eles que se sentem gratos pelo trabalho voluntário. As próprias costureiras vivenciam os benefícios de se dedicarem à produção das bonecas, que ajuda a ocupar o tempo e a fazer o bem neste momento em que estar distante é necessário – o resultado é um ciclo de benefícios a quem costura e a quem recebe.

Mas a criatividade e a tecnologia permitem reduzir um pouquinho essa saudade e vontade da presença física. Por isso, na instituição Marcelino Champagnat, um outro projeto inovador vai deixar colegas de profissão mais próximos novamente.

Entre os dias 12 e 14 de maio, cortinas itinerantes, feitas de PVC, em material transparente e adaptado para alocar os braços dos profissionais, vão permitir que os abraços há tanto tempo adiados possam ocorrer com toda a segurança.

E nessa instituição, além desse momento de afeto, fotos dos profissionais de enfermagem de todos os hospitais de Curitiba serão projetadas na fachada. Essa é uma forma de, publicamente, reconhecer os esforços e dedicação de tantos enfermeiros.

Os efeitos da gratidão na saúde de quem faz e de quem recebe

Profissionais de enfermagem recebem, neste mês de maio, os agradecimentos da população pelos cuidados ofertados. Mas, muito além de palavras ou homenagens, o que cada enfermeiro recebe é um ato de reconhecimento – ainda que eles exijam alguns cuidados devido à pandemia. Essa é uma motivação grande, um meio de cuidar de quem tem cuidado tanto da população em geral.

Mas não são somente os profissionais de saúde os beneficiados com essas ações, pois quem presta a homenagem – ou seja, faz o bem – também recebe algo em troca. Pois a emoção e os sentimentos de bem-estar são mútuos a quem homenageia e a quem é homenageado.

E um dos presentes vai carregado de mais saudade e admiração. Ester do Carmo Gomes é uma das costureiras voluntárias, que tece sua história com linhas de emoção. Entre as centenas de bonecas fuxico produzidas e que vão ser entregues nos hospitais de Curitiba, uma vai para Jhosy do Carmo, que é filha da voluntária e gerente de enfermagem do Hospital Marcelino Champagnat.

Assim, Ester vai ficar mais perto de quem tanto ama e batalha pela vida de centenas de pessoas diariamente.

A entrega das bonecas vai ser transmitida ao vivo, e as costureiras – inclusive a mãe de Jhosy – vão poder acompanhar o recebimento delas pelos enfermeiros. Um jeito de estar perto, oportunizado pelas tecnologias, mesmo em um momento que estar distante é necessário.

Essas e outras ações de valorização, solidariedade e empatia a quem tanto tem cuidado da saúde da população são estimuladas pela cultura e valores de todas as instituições vinculadas ao Grupo Marista, do qual ambos os hospitais fazem parte. Com atendimento humanizado e respeito à vida, os hospitais prezam e reconhecem a atuação de excelência que enfermeiros colaboradores exercem diariamente.