Estudante da PUCPR cria película para aumentar vida útil de frutas 

13 de dez

Projeto incubado na Hotmilk, Ecossistema de Inovação da PUCPR, foi selecionado em concurso nacional 

Já imaginou ter frutas frescas por mais tempo? Isso pode ser possível graças a uma criação da estudante Tatiane Barbosa, do curso de Agronomia da Pontifícia Universidade Católica (PUCPR) – Câmpus Toledo, que desenvolveu uma película protetora que prolonga a vida útil de frutas e verduras para o consumo.

A ideia surgiu durante a produção do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) de Tatiane. “Em testes realizados com morangos em temperatura ambiente, obtivemos resultados muito positivos. Os morangos comercializáveis se mantiveram saudáveis por seis dias. Atualmente, só é possível armazenar morango entre cinco a seis dias em ambiente refrigerado, em temperatura de 3 a 5°C”, explica a estudante.

O projeto, que foi acelerado pela Hotmilk – Ecossistema de Inovação da PUCPR, é um dos selecionados pela Fundação Cargill, uma das maiores multinacionais de produção de alimentos. Dos 642 projetos inscritos, apenas 15 foram selecionados. Tatiane irá receber um aporte de R$ 80 mil para desenvolver a iniciativa, que promete revolucionar o mercado de hortifrutigranjeiros. “A PUCPR teve um papel fundamental nessa conquista. A Universidade me auxiliou em toda a preparação teórica e exemplos práticos para incrementar ainda mais esse sonho que começou a se tornar realidade”, revela.

Fernanda Butarelli, coordenadora da Hotmilk, explica que, pelos próximos seis meses, o trabalho vai se concentrar em chegar na melhor formulação química do produto para então inseri-lo no mercado. “Com o auxílio técnico da Holtmilk, trabalharemos para seguir um cronograma de testes finais para formulação e certificação do produto, que em breve deve chegar ao mercado consumidor”, conclui.