Hospital Cajuru economiza ao usar antibióticos de forma consciente

21 de jan

Programa permite que o hospital gaste menos dinheiro e atenda melhor seus pacientes

O Hospital Universitário Cajuru, de Curitiba, obteve uma economia milionária em seus custos e aumentou a eficiência do tratamento dos seus pacientes através de um melhor uso dos antibióticos. Essa economia e maior eficiência ocorreu graças a uma preocupação com o uso consciente deste tipo de medicamento. 

Devido ao uso indevido e excessivo de antibióticos humanos e animais, a medicina está cada vez mais se preocupando com infecções resistentes a antibióticos. Otimizar o uso de antibióticos é uma das ações-chave do Plano de Ação Global da Organização Mundial da Saúde (OMS) para conter a resistência de bactérias. 

Para diminuir a incidência dessas bactérias e tornar a gestão hospitalar mais sustentável, o Hospital Cajuru iniciou em 2016 um programa de consultoria, chamado de stewardship. Neste programa, foi desenvolvido um aplicativo de suporte para tomada de decisões e instituição de protocolos de uso racional de antibióticos com foco em farmácia clínica a partir de estudos observacionais e análises estatísticas.

Economia e eficiência

A implementação do programa permitiu ao hospital uma economia de cerca de R$ 3,2 milhões em suas duas primeiras etapas. Atualmente, são cerca de R$ 500 mil em redução de custos por ano. A meta, segundo os líderes do projeto, é não somente diminuir gastos, mas oferecer um tratamento mais eficaz para o paciente. “O objetivo é melhorar os resultados, diminuir a resistência aos antibióticos e aumentar a eficácia do tratamento”, afirma o médico Juliano Gasparetto, diretor do Hospital Cajuru e um dos responsáveis pelo projeto, ao lado dos médicos Felipe Bondan Tuon e Thyago Proença de Moraes, todos professores da Escola de Medicina da PUCPR. 

O trabalho foi citado recentemente em uma revisão sistemática sobre estratégias assistenciais para consumo racional de antibióticos em países em desenvolvimento da Organização Mundial da Saúde, intitulado Mobile health application to assist doctors in antibiotic prescription – an approach for antibiotic stewardship.

“É gratificante sermos reconhecidos mundialmente por trabalharmos na sustentabilidade do sistema público de saúde, permitindo uma distribuição mais humana e justa dos escassos recursos disponíveis”, diz Gasparetto. Na avaliação do médico, a reprodução da experiência do Cajuru na racionalização da prescrição de antibióticos é bastante factível. “Os hospitais devem investir em programas de boas práticas que integrem equipes, orientação farmacêutica em prescrição e solicitação de exames e procedimentos”. Segundo dados da organização Choosing Wisely, existe mundialmente um desperdício de 20% a 30% dos recursos em saúde.

Fonte: Gazeta do Povo