Quais os acidentes mais frequentes em casa e como prevenir?

22 de jun

Estar em casa com os seus familiares é uma medida importante neste momento para ajudar a reduzir os riscos de contágio por coronavírus. Porém, não podemos esquecer que as crianças e idosos estão mais propensos a sofrerem acidentes em casa durante esse período.

As crianças, especialmente, precisam de atenção o tempo todo. Como os pais estão trabalhando, nem sempre eles estão vendo os perigos aos quais elas se expõem. A solução? Adotar medidas preventivas, reduzindo os riscos de exposição, e ter um plano de emergência para saber o que fazer caso algum acidente aconteça.

Quais são os acidentes mais comuns que acontecem em casa?

Em se tratando de crianças, compreender quais são os acidentes mais frequentes que acontecem nas residências é o primeiro passo para preveni-los. Abaixo, listamos algumas das situações mais comuns registradas em hospitais e orientamos o que fazer para reduzir os riscos ou para prestar atendimento o mais rápido possível quando necessário.

Risco de quedas

As quedas estão entre os acidentes mais comuns. Crianças podem subir em móveis, como mesas e cadeiras, e acabar caindo lá de cima. Há ainda o risco mais grave, relacionado a janelas e varandas. Evitar deixar a criança sozinha e, se possível, orientá-las sobre esse perigo são as medidas mais básicas.

Porém, nem sempre isso é possível. Nesse caso, evite deixar móveis que facilitem a escalada a lugares mais altos, como cadeiras próximas de bancadas e armários. As janelas e as sacadas devem ter tela de proteção ou permanecerem fechadas com chave, longe do alcance dos pequenos.

Afogamentos

Por mais estranho que possa parecer, afogamentos estão entre os acidentes mais comuns ocorridos com crianças pequenas. Piscinas, banheiras e até mesmo baldes podem ser um perigo: uma queda na água pode ser fatal se não houver como socorrer a criança a tempo.

Lugares como esses devem ser priorizados em termos de segurança. Em hipótese algumas as crianças devem ficar sozinhas em piscinas ou banheiras. Mesmo em locais com água rasa, a recomendação é colocar uma rede de proteção.

Queimaduras e choques elétricos

A cozinha é um dos ambientes mais perigosos da casa para que crianças fiquem sem supervisão. Líquidos e alimentos quentes, fósforos, garrafas térmicas e fogões devem ser mantidos fora do alcance delas. Uma dica é retirar os botões do fogão quando o item não estiver em uso.

Ao cozinhar, prefira utilizar as bocas de trás do fogão, deixando os cabos das panelas mais distantes do alcance dos pequenos. Deixe ainda objetos como facas longe da vista delas. Já as tomadas elétricas que não estiverem sendo utilizadas devem ser cobertas com um protetor específico.

Medicamentos e produtos de limpeza

Crianças entre 1 e 5 anos têm o hábito de colocar qualquer coisa na boca. Isso pode ser um perigo quando os itens em questão são medicamentos ou produtos de limpeza. Por isso, qualquer substância que possa ser considerada tóxica ou nociva deve ser guardada em áreas fechadas e, de preferência, à uma altura inacessível.

No caso de medicamentos, explique para a criança que eles não são doces e evite tomá-los na presença delas. Tenha sempre por perto um número de telefone para emergências, incluindo um pediatra e um pronto-socorro para saber como agir rapidamente em casos de intoxicação. Quanto antes a criança for atendida, maiores são as chances de reverter o quadro.

Plásticos e materiais sufocantes

Por fim, outro item perigoso e que pode resultar em acidentes são os plásticos. Sacolas, por exemplo, podem asfixiar crianças pequenas. Já fios, bexigas e até cordões de chupeta também podem causar estrangulamento ou fechamento das vias respiratórias.

Os brinquedos da criança também devem ser adequados à idade delas. Observe na embalagem do produto a recomendação de faixa etária e os avisos de segurança. Eles não devem ter pontas ou arestas agudas e precisam ser grandes o bastante para que não possam ser engolidos com facilidade.

…..

A prevenção é a melhor forma de evitar qualquer acidente. Mais do que orientar e supervisionar os seus filhos, é importante que você se antecipe a possíveis problemas, preparando o ambiente para minimizar os riscos. Aproveite o período em casa para observar cada cômodo e faça as adaptações necessárias para evitar acidentes.