Quedas, queimaduras e cortes graves dentro de casa aumentaram 30% durante pandemia, segundo OMS

1 de mar

Com a pandemia e a necessidade de ficar em casa, muitas pessoas tiveram que readaptar a rotina. E isso vai além de levar as atividades do escritório ou da escola para casa. Algumas outras coisas passaram a ser mais comuns ou mais frequentes, como cozinhar e fazer pequenos reparos no lar.

Por um lado, dar atenção e poder resolver isso é muito positivo, mas também pode esconder perigos caso os cuidados necessários não sejam tomados. E é sobre isso o alerta da OMS: acidentes domésticos, como queimaduras, quedas e cortes graves, subiram consideravelmente durante a pandemia, chegando a aumentar em 30%.

Esses dados, que são bastante preocupantes, poderiam ser menores caso algumas medidas simples fossem tomadas. Isso ocorre, em geral, porque nem sempre as pessoas associam a casa como um lugar de possíveis riscos.

Então fica fácil se descuidar e se machucar – o que pode, às vezes, ocorrer com gravidade. E em um momento de intensos cuidados com a saúde, é importante colocar mais isso na lista.

Acidentes domésticos durante isolamento social: por que aumentaram?

Durante o período de isolamento social, o mundo todo precisou reorganizar as rotinas. Mais do que apenas ficar mais tempo em casa, foi preciso adaptar rotinas, pois atividades comuns, como sair para almoçar, tiveram que ser suspensas ou, ao menos, reduzidas.

Além de ter que cozinhar mais, as pessoas começaram a ficar mais tempo em casa, o que antes não era a realidade de muita gente.

O resultado se mostrou de duas formas: uma é que as coisas em casa passaram a quebrar mais, logo que estão em uso mais constante; outra é que também foram mais consertadas, tanto porque a impossibilidade de sair fez com que houvesse mais tempo para aquelas atividades não urgentes (como limpar o telhado) quanto pela dificuldade em contratar serviços em meio à pandemia.

Além disso, para quem tem crianças ou adolescentes em casa, o cuidado é redobrado. Destaca-se que os acidentes domésticos são a maior causa de morte entre 0 e 14 anos (o Relatório Mundial sobre Prevenção de Acidentes com Crianças e Adolescentes,da OMS e da Unicef aponta que 630 mil crianças por ano são vítimas de acidentes em todo o mundo).

Por isso, algumas mudanças e adaptações no espaço também são válidas, como cercados ou telas, corrimões e ausência de tapetes.

Isso é ainda mais importante considerando que os pequenos estão mais tempo em casa. E com os responsáveis muitas vezes trabalhando em regime remoto, nem sempre é possível manter a vigia.

Saiba como evitar acidentes domésticos durante isolamento social

De acordo com a OMS, acidentes como quedas, queimaduras e cortes graves estão entre os acidentes domésticos que aumentaram de frequência. Mas, em média, 90% deles podem ser evitados. Para preveni-los, medidas podem ser tomadas, como:

Na cozinha

A cozinha costuma ser um local em que muitos acidentes acontecem, sobretudo com crianças. Por isso, algumas dicas são:

– Não deixar os cabos das penas que estão no fogo virados para fora, de modo que seja fácil esbarrar neles;

– Guardar bem facas ou objetos afiados, de preferência com proteção reforçada;

– Não deixar produtos químicos em locais de fácil acesso pelas crianças;

– Evitar toalhas de mesa que possam ser puxadas pelas crianças.

Na casa em geral

Diversos ambientes da casa podem oferecer perigos também. Por isso, alguns cuidados são:

– Cuidar com tapetes escorregadios, dando preferência àqueles antiderrapantes ou evitar o uso deles;

– Fixar bem móveis e quadros, verificando sempre se eles são fáceis de tombar ou cair;

– Colocar grades e telas em escadas e janelas quando houver crianças.

Em consertos e pequenos reparos

O ideal é sempre solicitar os serviços de pessoas especializadas. Mas quando não for possível, é importante tomar as seguintes medidas:

– Usar equipamentos adequados, como subir em escadas em vez de cadeiras;

– Usar sapatos fechados e luvas de proteção para carregar móveis ou objetos pesados.

Primeiros socorros em acidentes domésticos

Prevenir é a melhor opção, mas saber como agir adequada e rapidamente nos casos de acidentes domésticos é fundamental. Isso, porque ações indevidas podem agravar ainda mais o quadro e colocar em risco a vida da vítima. Por isso, alguns cuidados são:

Quedas

Quedas fortes podem causar perda de consciência ou fraturas e deslocamentos. Nestes dois últimos casos, é importante imobilizar a pessoa, evitando lesionar mais o local. Também não se deve tentar colocar o osso no lugar.

Intoxicação

Em casos de intoxicação por produtos químicos, é preciso lavar a região (olhos, pele, boca) com água corrente e encaminhar a vítima rapidamente para o hospital levando, preferencialmente, a embalagem do produto.

Cortes e machucados

Caso haja hemorragia ou sangramento, é importante pressionar o local com um pano limpo para estancar o sangue.

Queimaduras

Água quente, tomadas sem proteção, fios elétricos e panelas são alguns causadores de queimaduras, que podem variar entre primeiro, segundo e terceiro graus. Caso ocorra uma queimadura térmica, é indicado:

– Resfriar o local com água corrente;

– Nunca aplicar nenhum produto ou medicamento sem orientação médica;

– Retirar acessórios (como anéis, relógios etc).

Choque elétrico

A primeira medida é interromper a corrente elétrica, sempre com cuidado para não haver mais vítimas. Para isso, pode-se usar um cabo de vassoura ou outro material isolante. Nesses casos, é indispensável levar a vítima ao hospital.

___

Muitas vezes, os perigos estão em lugares inimagináveis. Por exemplo, dentro de casa. Na pandemia, com mais gente trabalhando e fazendo tarefas domésticas, os acidentes aumentaram bastante. Mas com algumas medidas simples de prevenção, é possível evitá-los. Além disso, saber como agir caso ocorram é fundamental.