Semana do Meio ambiente lembra os benefícios da natureza para as crianças

10 de jun

Dia 5 de junho é comemorado o Dia Mundial do Meio Ambiente, e o objetivo da data é reforçar a urgência e necessidade de cuidar e proteger os recursos naturais.

Basta pensar na natureza, como o som do mar ou o vento batendo nas folhas de árvores, para que uma sensação de relaxamento seja promovida – não à toa, esses sons costumam ser usados em atividades que acalmam e trazem bem-estar.

Mas isso é apenas uma parcela dos benefícios que o contato com a natureza promove nas pessoas, sejam elas adultas ou crianças. Para estas últimas, os efeitos são imensos. Estudos apontam que essa relação próxima promove melhorias na saúde física, mental e social dos pequenos.

Não é difícil pensar na cena de uma criança correndo em um parque, jogando bola na grama ou subindo em árvores. Mas, apesar de tão comum na memória de muitas mães e pais, essas atividades estão cada vez menos presentes atualmente.

Mais envoltos por tecnologias, como celulares e computadores, os pequenos que não têm essas experiências estão deixando de vivenciar importantes momentos, como explorar a curiosidade, a criatividade e interagir com elementos naturais que estimulam corpo e mente.

Diante dos efeitos e do cenário urbano, escolas têm oportunizado esse contato mais próximo e efetivo – algumas contam com bosques e áreas verdes dentro da própria escola. Assim, essa é uma forma saudável e acessível de permitir que os pequenos aprendam a cuidar de si e do ambiente, com amor e respeito.

É com base nessas observações que o Colégio Marista Arquidiocesano lançou o projeto de um jardim sensorial. Voltado para os alunos da Educação Infantil, a implementação tem como objetivo aproveitar ao máximo essas possibilidades da natureza, facilitando o acesso das crianças.

Nele, os alunos vivenciam um momento de extrema riqueza sensorial, despertando também o sistema emocional, social, cognitivo e afetivo por meio da participação e interação. Dessa forma, podem correr, tocar, sentir, cheirar e explorar um universo que, muitas vezes, é desconhecido.

O jardim sensorial faz parte do projeto “Amar a Natureza”, proposta que estimula os estudantes do Ensino Infantil a buscarem explicações e levantarem hipóteses sobre diversos temas, partindo de questionamentos mais complexos.

Colégios Marista e Natureza

Não é de hoje que os Colégios Marista apostam na boa relação dos alunos com a natureza para desenvolver uma educação integral e saudável – tanto que o respeito e o cuidado ao meio ambiente fazem parte dos valores do grupo, e o objetivo é que os alunos tenham essa noção fortalecida constantemente

É o caso do projeto “Amar a Natureza”, que engloba o jardim sensorial e também atividades e ações que trabalham de diferentes formas essa relação.

Os cinco sentidos, por exemplo, são estimulados por meio de atividades que usam frutas, flores e plantas em geral.

Com tantas formas, cores e tamanhos, a visão das crianças precisa ficar atenta. Devido à riqueza de perfumes, texturas e sabores, elas são usadas para despertar o olfato, tato e paladar.

É dessa forma que camélias, calêndulas, lavanda, cerejas, e até escarolas adentram o universo infantil nas escolas. E, sem esquecer da audição, as crianças são incentivadas a soltar a imaginação e brincar com sinos ao vento, captando os sons que diferentes materiais podem produzir.

No ano de 2020, o Colégio Arquidiocesano também ganhou um local especial para os alunos da Educação Infantil.

Chamado de Arqui Maristinha, os pequenos de 1 a 7 anos agora contam com um espaço acolhedor e seguro para brincar e explorar o ambiente, que tem árvores nativas, plantas, pássaros e uma extensão de cerca de 3 mil m² para que eles brinquem, corram, pulem e criem laços com a natureza, de forma saudável e respeitosa.