7 dicas para escolher o curso ideal na faculdade

A escolha de curso de ensino superior pode tirar o sono de muitos alunos, mas não precisa ser tão complicada

A transição do ensino médio para o ensino superior é uma das mais complexas na vida dos estudantes. Embora muitos saibam desde pequenos o curso que pretendem ingressar, outros chegam ao Terceirão sem muita ideia do que fazer. Além desses, também existem os que possuem diversas aptidões, mas não sabem qual rumo seguir. 

Escolher o curso ideal na faculdade não é uma tarefa fácil. Porém, também não precisa ser um bicho de sete cabeças. Para tanto, os alunos podem seguir algumas dicas que vão lhes ajudar a decidir seu rumo no ensino superior com mais assertividade. Assim, as chances de sucesso e de uma graduação exemplar são bem maiores.

A escolha de um curso alinhado às suas necessidades e expectativas é fundamental para que a jornada acadêmica no ensino superior seja repleta de satisfação.

Como definir o que cursar no ensino superior de maneira tranquila

1. Confie nas suas especialidades

Você gosta mais de matemática ou de português? Suas melhores notas são em física ou em biologia? Compreender suas próprias especialidades é um ótimo ponto de partida para decidir o futuro curso de ensino superior que você irá frequentar.

Portanto, avalie suas preferências e suas especialidades. Depois, filtre os cursos em que essas competências são mais importantes. Dessa maneira, você já consegue eliminar do circuito diversas graduações que não se encaixam com o seu perfil acadêmico.

2. Faça testes vocacionais

O teste vocacional é uma das melhores ferramentas para avaliar e entender as suas aptidões profissionais. Por isso, busque profissionais que façam essa avaliação ou encontre testes on-line que avaliem sua personalidade e indiquem o melhor rumo. O questionário da The Career Test é uma opção gratuita e prática.

Vale destacar que não existem respostas erradas nos testes vocacionais. Ou seja, tente respondê-los com muita sinceridade, a fim de garantir um resultado direcionado à sua pessoa. Depois, quando chegar às indicações de cursos, selecione aquele que mais faça sentido para sua vida.

3. Participe de feiras de profissões

Diversas universidades organizam feiras de profissões para apresentar os cursos e a instituição. Por isso, frequentar essas feiras é uma ótima oportunidade para esclarecer diversas dúvidas e entender como funciona o dia a dia dos alunos de cada curso.

É o caso do Planeta PUCPR, que tem participação gratuita e leva a feira de profissões para diversas cidades paranaenses. Assim, os interessados podem conhecer alguns projetos de pesquisas dos cursos da instituição, conversar com alunos sobre suas percepções e entender diversos detalhes da vida acadêmica, como financiamento e internacionalização.

4. Conheça cada curso

Outra boa dica é pesquisar a fundo sobre os cursos de interesse. Veja a grade curricular, o mercado de trabalho, as opções profissionais e muito mais. Conversar com universitários da instituição de interesse é uma maneira de entender a percepção de quem já está na graduação.

Essa análise pode trazer novos olhares sobre os cursos de ensino superior. Assim, na hora de escolher o seu futuro, ficará mais fácil analisar os prós e os contras de cada um deles. 

5. Pesquise sobre a universidade

O portal do Ministério da Educação permite que você pesquise todas as instituições de ensino superior do Brasil. Assim, você consegue avaliar a qualidade da faculdade que pretende ingressar. 

Alguns dos principais critérios a serem analisados são: o Conceito Preliminar de Curso (CPC), que avalia cada curso da instituição, o Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade), que mostra o rendimento acadêmico dos alunos, e o Índice Geral de Cursos (IGC), que é a nota que engloba todos os cursos de graduação da instituição.

6. Avalie as modalidades de ensino

A educação a distância é uma modalidade que cresce ano a ano no Brasil. Atualmente, ela corresponde a mais de 60% dos alunos matriculados no ensino superior. Esse comportamento foi impulsionado pela pandemia, mas deve ser escolhido preferencialmente por quem tenha mais flexibilidade de horários. Também é preciso analisar se o curso de interesse permite que as aulas ocorram de forma não presencial.

Porém, caso a escolha seja pelo modelo presencial, é importante analisar diversos detalhes. A distância da residência até a universidade, a rota a ser utilizada e a disponibilidade para estar presente em todos os horários de aula são algumas considerações que precisam ser feitas antes da escolha por esse formato.

7. Supere os obstáculos

Ao definir um curso de ensino superior, o aluno pode sentir muita pressão de todos os lados. Ou seja, é preciso saber lidar com cada uma delas. Por exemplo, a família pode tentar influenciar com um curso diferente do escolhido pelo aluno. Assim, é preciso conversar e mostrar como a vontade do vestibulando deve ser respeitada nesse momento tão importante de sua vida.

O mercado de trabalho também pode gerar dúvidas, principalmente sobre valorização e excesso de profissionais. Nesse sentido, vale uma dica: busque a excelência em suas ações e você colherá os frutos dessa dedicação. Mas, se o obstáculo for de ordem financeira, é possível buscar incentivos do governo ou bolsas de estudo nas instituições.

Compartilhar este post

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.