Metaverso: as oportunidades e os riscos para as crianças

Tecnologia tem potencial enorme para revolucionar a educação infantil, mas os pais precisam ficar atentos quanto aos riscos a que seus filhos estarão expostos.

Uma das palavras mais ditas neste ano foi “metaverso”. O novo ambiente digital tem movimentado especialistas e atraído curiosos. E se você acha que é muito velho para ela, saiba que seus filhos passarão boa parte do tempo imersos nesse novo mundo virtual. Por isso, desde já, é importante conhecer os riscos e as oportunidades do metaverso na educação infantil.

Afinal, se hoje elas já não desgrudam dos games, do TikTok e do YouTube, o que dizer de um lugar que promete experiências ainda mais singulares? Entretanto, é importante lembrar que o espaço on-line é propício para crimes, inclusive contra crianças. O metaverso vai, sim, abrir inúmeras possibilidade positivas, mas o cuidado dos pais deverá ser redobrado.

No ano passado, a Organização das Nações Unidas incluiu a privacidade, proteção, educação e diversão no mundo digital como direitos das crianças. Ou seja, é preciso acompanhar a evolução virtual para garantir que elas estejam protegidas e seguras.

Mas, afinal, o que é o metaverso?

Quando se fala que o metaverso é um mundo virtual, devemos lembrar que as próprias redes sociais e demais sites podem usar a mesma descrição. Entretanto, a diferença principal é que o metaverso é um lugar imersivo, no qual é necessário utilizar alguma tecnologia como óculos de realidade virtual para se conectar.

Diversas marcas estão desenvolvendo seu próprio espaço virtual imersivo. No futuro, a ideia é que seja possível saltar de um mundo para outro com apenas um clique ou comando. Assim, as possibilidades são infinitas.

Para as crianças, o metaverso promete grandes oportunidades. Jogos como o Minecraft e Roblox  já organizam momentos de educação e entretenimento. Com o metaverso, essa experiência promete ser ainda mais divertida. Porém, recomenda-se ficar atento. Os riscos de violação dos direitos das crianças são muito elevados, e alguns especialistas ainda temem os efeitos do metaverso sobre os pequenos.

Os riscos do metaverso para as crianças

O relatório “As Crianças e o Metaverso”, elaborado pela Common Sense Media, traz algumas das principais preocupações relacionadas à tecnologia. A organização sem fins lucrativos é especializada em direito das crianças e alerta sobre alguns pontos:

  • Conteúdo sensível, incluindo imagens e vídeos sexualmente explícitos.
  • Questões de privacidade e roubo de dados
  • Cyberbullying e outros tipos de assédio virtual.
  • Riscos à saúde mental, como dependência, ansiedade e agressividade.
  • Riscos à saúde física, como o uso excessivo de fones e óculos de realidade virtual.

Esses riscos já existem com a internet atual, mas os mundos virtuais do metaverso podem potencializá-los. Por isso, é preciso se preparar para a mudança. Vale lembrar que as crianças costumam ter mais facilidade com novas tecnologias. Assim, os pais precisarão ter grande atenção quando o metaverso se tornar parte da rotina das crianças.

As potencialidades e os benefícios que o metaverso oferece

Mesmo assim, os riscos do metaverso não podem encobrir suas enormes possibilidades positivas. Na área da educação infantil, a tecnologia promete grandes avanços. Explicar conceitos abstratos pode se tornar muito mais fácil com o metaverso. Para falar de Geografia, que tal levar os alunos para um passeio virtual em outro país? E o que dizer das aulas de História que poderão ser feitas dentro das Pirâmides do Egito? 

Outra grande vantagem está na socialização. Hoje em dia, a internet promove o isolamento das pessoas. No metaverso, a ideia é que as interações sejam muito mais dinâmicas, por meio de avatares personalizados. Mundos virtuais seguros e controlados podem se tornar ambientes saudáveis para estimular a criatividade e a convivência em sociedade.

Também vale destacar o poder da diversão. O metaverso promete ser um espaço de grande entretenimento. Assim, os pais poderão fazer passeios inesquecíveis com as crianças, mesmo sem sair de casa! Experiências ainda inimagináveis deverão tornar os passeios em família ainda mais legais!

Como proteger as crianças no metaverso?

As principais dicas dos especialistas em tecnologia para o uso do metaverso pelas crianças são as mesmas direcionadas à internet. Ou seja, os pais deverão monitorar o conteúdo acessado e criar restrições a conteúdos sensíveis. 

A quantidade de tempo conectado nos mundos virtuais também deverá ser controlada. Isto é, será necessário definir quando a criança vai usar a tecnologia e por quanto tempo. Ter isso estipulado previamente vai ajudar a evitar birras e discussões. 

Nas escolas, o metaverso também poderá fazer parte do currículo pedagógico. No Reino Unido, as crianças já têm disciplinas de segurança na internet a partir do 2.º ano. Pensar em algo semelhante envolvendo os mundos virtuais pode se tornar necessário.

Mesmo assim, é impossível monitorar as crianças durante 24 horas por dia. Por isso, a orientação em casa sobre os riscos da tecnologia precisa ser constante. Os pais deverão desenvolver essa confiança com as crianças, para que elas contem se vivenciarem algo suspeito ou nocivo.

Compartilhar este post

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.